Home

admin Post in Sem categoria
0

Parábens a SABRINA HAYASHI, que representando a Ryubukai Santo André, dirigida pela Sensei Yumi Yonamine, orgulhosamente conquistou o Segundo Lugar no Sulamericano 2017
OSS!!!

O poderoso golpe do Karate

Todos nós sabemos que a meta primordial no ataque do Karatê é vencer o adversário. Mas vencer rapidamente. Logo o golpe deve ser certo e não mais do que um. É esta a diferença entre os golpes de Karatê (atemi) e o de outras lutas. E nesta situação procuramos causar uma lesão interna. Sabemos que muitos nos chamarão de vários significados pelas exteriorizações acima ditas, mas se não o fizéssemos, estaríamos enganando quem nos lê, pois antes de tudo esta é uma arte de guerra, e somente desta maneira, ou melhor, com esta mentalidade de combater pela vida é que alguns conseguirão aquele estado de espírito pacífico, pois terão ultrapassado o estado primário comum ao noviço e trilharão o caminho do Karatê verdadeiro, onde o amor pelo adversário, a bondade e a compreensão, tomam o lugar da vontade de ferir ou matar. Nada disso conseguiremos se não tivermos passado pelas provas físicas cruéis do início, que nos fizeram (por nós mesmos) ver, sentir e julgar nossas atitudes subseqüentes e nossos caminhos a trilhar. Esta arte não é o final de tudo, mas, um meio para melhorar. E como para tudo é necessário aprendizado e técnica, para o Atemi, ou melhor, para o alvo ao qual se propõe o Atemi (ate: golpe – mi: corpo), que é de tirar fora de combate o adversário, fazem parte inúmeras condições na técnica de bater:

Podemos utilizar um verdadeiro arsenal, que é o nosso corpo humano. Sendo que estas armas são naturais!

Batermos com qualquer superfície pequena para concentrarmos a energia liberada pelo corpo no sentido de um ponto por nós atacado, sendo o efeito maior no impacto.

Sabemos que a velocidade da massa em movimento aumenta, proporcionalmente, à força desenvolvida na hora do choque e por isso aprendemos a bater com velocidade máxima. Da mesma forma aprendemos que a massa é bem menos importante do que a velocidade.

Aprendemos a visualizar com precisão e possibilidade os pontos vitais do adversário que nos parecem vulneráveis ao menos que isto seja impossível, o impacto será rápido. Mesmo com a adversidade, podemos bater em qualquer parte obtendo os mesmos resultados em vista de um treinamento profundo e bem organizado.

Batemos com tudo de nosso corpo, participando do ato e não somente os membros em especial. Rejeitamos a onda de volta, provocada pelo impacto, forçando- a de volta para o adversário. Mas poderíamos falar se quiséssemos nos fixar em outros atemis que existem e variam, seja na maneira de bater ou no ponto visado. Aquele que é percuciante, salta após o impacto. Ou aquele outro que penetra e desequilibra. Em cada golpe do corpo devemos ter a impressão de ser a única maneira de vencermos e nele devemos pôr toda a nossa reserva de energia. Devemos, mesmo, criar aquela imagem, de que é a última chance que temos de vencer. Procedendo assim, chegaremos a produzir aquela energia física e mental peculiar aos que praticam a “verdadeira arte”.

Concluímos, pois, que sem nossa dedicação e, antes de tudo, o espírito em função desta arte somente sofreremos sérias desilusões e o Karatê, por nós praticado, não passará de meros movimentos feitos no sentido do nada.

A conhecida palavra Kara-te significa “mão vazia” e Do “via” ou “caminho”. O nome Karate-do representa uma Arte milenar que não é simplesmente uma arte de luta sem armas mas, como todas as artes e as disciplinas orientais Zen, é um caminho de auto-conhecimento, aperfeiçoamento e crescimento. Para nós, praticantes de Karate-do, é fundamental conhecer a história desta Arte: sua origem e evolução, os principais mestres, estilos e características. Esta pequena contribuição é fruto do conhecimento transmitido pelos meus mestres e colegas e também de material escrito e publicado (em livros, revistas e na Internet). Ela tem como objetivo compartilhar um pouco dessa rica história e incentivar a busca pessoal de cada um de vocês.

As origens do Karate-do na China

Definir uma data aproximada de origem das Artes Marciais é uma tarefa praticamente impossível. Deveríamos falar das antigas artes na Índia, China e até a Grécia. Nos concentraremos aqui especificamente no desenvolvimento do Karate-do.

O Karate-do como tal é uma arte marcial okinawense criada no final do século XIX, mas as suas origens são muito mais antigas. Todas as teorias coincidem no fato de que no século VI um monge Zen-Budista chamado Bodhidharma (chamado Tamo pelos chineses e Daruma pelos japoneses) viajou da Índia à China para ensinar o budismo Dhyana aos monges chineses no templo de Shao-Lin-Tsu. A exaustiva prática da meditação revelou a fraqueza física e espiritual dos monges. Bodhidharma, então, lhes ensinou uma serie de 18 movimentos que lhes permitiria fortalecer seus corpos e a sua força de vontade. Esses movimentos derivam das artes de combate da Índia e outros países e tiveram sua origem (entre outras coisas) no estudo dos movimentos dos animais. Assim surgiu o que se chamou de “boxe dos monges”.

Depois da morte de Bodhidharma, seus discípulos se dispersaram por toda a China. Ao longo do tempo essas séries de movimentos foram estudadas, complementadas e testadas por vários mestres chineses até se converterem no chamado Kempo Shaolin (chamado também por alguns de “Quan fa” ou “Kung-fu”) e ser difundido por toda a China, a partir do século XIII.

Okinawa Goju-Ryu

Fundador

Grão Mestre Sensei Chojun Miyagi

Nascimento: 25/04/1888

Falecimento: 08/10/1953

Local de Origem: Higashi – Naha – Okinawa – Japão

OkinawaIslandNaha

A Família Miyagi era famosa na cidade de Naha, pois possuia um grande patrimônio adquirido com suas atividades comerciais.

Desde a sua infância e graças à sua excelente estatura, Chojun Miyagi adorava várias modalidades de esporte. Aos 14 anos, tornou-se discípulo do famoso professor Kanryo Higaona, que havia treinado kempo na China durante vários anos.

A disciplina da época era extremamente severa. Como o treinamento era muito rígido, no qual se treinava principalmente o “Santin” durante horas. A maioria dos discípulos não aguentavam e desistiam.

O Karate Goju-Ryu tem origem do Shorin-Ken Sulista do Fukuken-sho da China, sendo que suas técnicas eram extremamente difíceis, devido aos seus deslocamentos curtos e movimentos circulares.

Na China existem muitos estilos de Kempo que se originaram dos movimentos das lutas entres animais. São famosos os Kempos do Cisne Negro, Cobra, Tigre, Cão, Macaco, entre outros. O Goju-Ryu caracteriza-se pelo Kempo da Pantera Negra.

A origem da denominação Goju-Ryu aconteceu quando o discípulo Nyan Shinzato (1900-1945) em uma apresentação no Templo Meiji Jingu, foi questionado quanto ao nome do estilo. O Mestre Miyagi o havia orientado que ele apenas responderia se fosse questionado insistentemente. O nome é uma derivação de um poema chinês composto por oito versos relativos às filosofias do Karate. A denominação é Shorin-Ken Hakutsurumon de Fukuken-Sho da China.

KEMPO HAKKU

kempo hakku

1 – Jinshin wa tenchi ni onaji ( A mente e a pessoa como o céu e terra )

2 – Ketsumyaku wa nichigetsu ni nitari ( O rítmo circulatório do corpo é semelhante ao ciclo do sol e da lua )

3 – Ho wa gojyu wo tondo su ( O modo de inalar e exalar é dureza e suavidade )

4 – Mi wa toki ni shitagai hen ni ozu ( Aja conforme o tempo e mudança )

5 – Te wa ku ni ai sunawachi hairu ( Técnicas acontecerão na ausência de pensamento consciente )

6 – Shintai wa hakarite riho su ( Os pés tem que avançar e têm que se retirar, tem que separar e tem que se encontrar )

7 – Me wa shiho wo miru wo yosu ( Os olhos não perdem nem sequer a mudança mais leve )

8 – Mimi wa yoku happo wo kiku ( As orelhas escutam bem em todas as direções )

Sucessor: Daí Sensei Meitoku Yagi

meitoku

Graduação 10º Dan

Nascimento: 06/03/1912

Falecimento: 07/02/2003

Local de Origem: Naha – Okinawa – Japão

A continuação do Goju-Ryu após o Mestre Miyagi, manteve-se através dos movimentos de sucessão em diversas ramificações, iniciadas pelos seus discípulos.

O Mestre Meitoku Yagi, fundou a Zen Okinawa Karate-do Renmei (Federação Okinawana Interestilos de Karate), Okinawa Karate-do Goju-kai e a Meibukan Goju-Ryu.

Em 1963, a família de Mestre Chojun Miyagi aponta oficialmente o Mestre Meitoku Yagi como sucessor da Okinawan Goju-Ryu oferecendo-lhe o Gi e o Obi do Mestre. Frase de Yagi Sensei.

“Do not put your main purpose in mastering karate techniques itself, you should study the way of life thorough karate”.Remember that this is the final goal that we would like and need to reach.”

“Não coloque o seu principal objetivo em dominar as suas técnicas de karatê, você deve estudar o modo de vida completa do karate”.Relembre que este é o objetivo final que gostaríamos e precisamos alcançar “.

Miyagi-Sensei_1952_Yagi-Meitoku_Miyazato-Eiichi_Toguchi-Seikich_Miyazato-Eiko

Grão Mestre Sensei Chojun Miyagi e alguns alunos seus, dentre estes alunos está Daí Sensei Meitoku Yagi

Daruma700px

DARUMA (Patrono das Artes Marciais)